segunda-feira, 27 de novembro de 2017

O Planeta Trapht






Físicos do Observatório Real do Reino da Pitangueira entregaram nesta manhã, em solenidade assistida por todo o reino, documentos referentes ao processo de aproximação entre o Planeta Trapht e este domínio imperial. A seguir apresentamos coisas que acontecem por lá, que aqui seriam tratadas como impossíveis, dado ao grau de civilidade alcançada neste nosso torreão.





Segundo os cientistas, as investigações se dividiram em vários aspectos da vida social de Trapht. Abaixo reproduziremos os mais importantes:





1 - Da organização do Estado


Em Trapht há um poder único, central, que banca e mantém a Sufferre a ferro e fogo - é a Aristokratia. O modelo Sufferre é padrão irrevogável para todos os reinos, que são denominados de Frâncico (aqui conhecemos como país ou estado) e a partir dele, os Frâncicos podem ser monarquias parlamentares ou não, presidencialistas parlamentares ou não, democracias ou não, absolutistas ou qualquer forma que atenda aos reclames da plebe.





2 - Das Religiões.


Em Trapht existem vários movimentos religiosos. Todos tem razão, todos tem argumentos e todos tem seus seguidores. Eventualmente um ou outro líder se destaca em detrimento do poder local, quando este tenta de afastar do modelo Sufferre.





3 - Da Ciência.


Toda a Ciência é controlada pela Aristokratia, sem contra-argumentação. Uns poucos Frâncicos obtêm privilégios exclusivos em detrimento de 98 % dos demais. 





4 - Da Educação


São dois modelos - Aquila e Caepulla


Ambos tem o ciclo fundamental - Apopores minimus


O ciclo médio - Silqa 


O ensino superior - Zool





Aquila é para poucos Frâncicos, os outros 98% seguem o modelo Caepulla.





5 - Do Sexo


Reprodutor Doador -  Árgons 


Reprodutor Receptor - Âryas.





O Reino da Pitangueira aguarda o cumprimento dos ritos protocolares para entrar em contato com este Planeta, mas segundo pesquisas realizadas pelo Centro Imperial de Pesquisas Sociais (CIMPES), os professores, sociólogos, filósofos, maestros de banda de rua, garçons, parlamentares honestos, parlamentares corruptos, estivadores, mestres, servidores públicos, violeiros, andarilhos, donos e donas de casa, empresários, marginais, marginalizados e cantores de Karaokê locais acreditam que não irão acrescentar muita coisa na nossa vida não. 








É isto aí!




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gratidão!