segunda-feira, 7 de maio de 2018

A ciranda de Sayyora




Entrudos de Lazarim


Na última postagem, analisando do alto da Colina do Bom Senso o belo planeta Sayyora, falei das coisas estranhas que por lá estão a ocorrer Trás-os-Montes da província tabajara (o que a choldra desconhece é que trás-os-montes está o Entrudo ...).





Pois bem, corre a boca miúda aqui e acolá que por aquelas bandas ocorrerão eleições legítimas, legais e válidas que elegerão congressistas, governadores e talvez o rei, através do mais alto galardão da tradição, da família e da propriedade, tal qual eram os congressos de tempos imperiais. É o sebastianismo ressuscitado sem o sebastião, como sempre.





Ocorre que a choldra tem memória curta, estopim curto, consciência curta e midiotices longas. No longínquo anno domini  de 2016, logo após se instaurar a lei e ordem  em Ulkan - o gigante tabajara adormecido - o ditador de plantão entregou goela abaixo do incontestável e imaculado congreçço (sim, aqui tem dois çç) uma PEC que de forma, digamos assim estupefaciente, imobilizou por vinte anos a Saúde Pública, a Educação Pública, a Assistência Social, a Cultura Nacional e outras coisas que só pobres e incompetentes usufruíam do governo anterior, sem fazer por merecer.





Alegaram a lei do meretrício, ou meretriciocracia - só os bons têm mães que ...





Além disto, não bastasse o amor à pátria amada, visto que o líder é fenício (explica em parte mas não no todo), as leis trabalhistas foram atropeladas em nome da modernidade, afinal a moda dos assalariados doravante será a fotossíntese, fenômeno de criação de vida a partir da luz e da água da chuva.





Desta forma faltarão recursos aqui, ali, lá e acolá, menos para a massa perfumada, aquela do glamour das orgias santas. Mas e aqueles que se vestiram de chiquita bacana? Como reagirão no iminente anno domini de 2019 em diante?  





Dirão que a culpa é dos vereadores e dos prefeitos.


Os vereadores dirão que a culpa é do prefeito


Os prefeitos dirão que a culpa é do governador


O governador dirá que a culpa é da aççembléia legislativa


A aççembléia legislativa dirá que a culpa é do congreçço nacional


O congreçço nacional dirá que a culpa é de determinado togado que bancou a "coisa"


O togado (data venia, lucidez de profeta) assim deu em sua sentença validando a "coisa":





"Há risco de setores mais vulneráveis e menos representados politicamente perderem a disputa por recursos escassos. Porém, está não é uma questão constitucional, mas política"





Veja só você em que buraco as chiquitas bacanas enfiaram Ulkan, o Gigante Tabajara. Era só tirar a maluca que tudo ia dar certo, desde que ... desde que ... fosse só para a massa cheirosa viajar sem aquele cheiro de pobre nos aeroportos.





Sorry, periferia, a caravana passa e os cavalos não descem as escadas enquanto os cães sarnentos morrem à míngua da PEC dos vinte anos.





É isto aí!







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gratidão!